sábado, 19 de abril de 2014

Tibet no Japão, o templo tibetano de Nagoya

Em meio às montanhas, localizado próximo ao Ryusenji e da área florestal de Higashitani, em Nagoya, Chang Valin - ou Chambarin como pronunciam os japoneses - é um templo tântrico tibetano, o único no arquipélago.
Fundado em abril de 2005 - construído ao longo de 4 anos - na área nobre do distrito de Moriyama, o templo tibetano de Nagoya possui os encantos e os mistérios do Tibet.
Fiel reprodução do Jokhang do Tibet, tem arquitetura completamente diferente dos templos budistas japoneses.
Clique na imagem para ampliar.
O budismo tibetano, também conhecido como lamaísmo, é citado mundialmente como o de Dalai Lama, que seguem ensinamentos do Buda, porém adaptados ao seu país.
Tudo é muito fascinante, são mandalas e espetacular colorida decoração.
O templo tem muito brilho, dentro ou fora. Na foto abaixo, o pagode que fica no topo.
Do outro lado, um outro salão.
Nas flâmulas, explicações das imagens dos deuses.
Mensagens de paz em vários idiomas nos pilares.
No interior desta capela mor, das muitas esculturas e pinturas exóticas - o principal objeto de decoração é o Buda de 12 anos. O interior, bem como as obras não podem ser fotogafadas e podem ser visualizadas no site do monge Kurikara AQUI <<< vale clicar, é exuberante!
Neste dia acontecia o Festival das Flores. Havia produtos à venda em tendas no estilo tibetano e algumas pessoas tipicamente vestidas. A imagem é do final do Festival.
Neste lado, as construções não são muito diferentes dos templos budistas japoneses.
As raposas de guarda em um edifício, após um torii, conhecido como portal xintoísta
No salão maior são realizadas as cerimônias de grande porte.

Existe uma trilha que leva a um santuário, um pequeno edifício rústico que faz parte do templo.

Monumento do Kotodama, obra recente do templo.

Jizo, protetor das crianças, mulheres grávidas e dos viajantes.
O local é agradável, talvez por desconhecerem, não havia turistas, muito comum em templos japoneses.
O horário de visitação do Templo é das 9h da manhã às 5h da tarde.
Junto do templo e o que está mais visível pra quem passa na rota, está um café.
Parukoru, como dizem os japoneses, trata-se do café Parkol.

No tranquilo ambiente, muitos quadros dos deuses e do Tibet. O clima é o mesmo do templo.
Funciona também como uma pequena lojinha de artigos tibetanos.
Famoso pelo chá de manteiga, outras iguarias típicas são servidas.


Aproveitei para fazer um lanche mais reforçado, por conta do horário - o curry típico, acompanhado de sopa, salada e água quente. No final, água gelada.

Endereço: Aichi-ken Nagoya-shi Moriyama-ku Aobadai 101

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Tennogawa Koen, o parque das glicínias de Tsushima, Aichi

É tempo das belas e perfumadas cortinas formadas pelas glicínias no Tennogawa Koen, em Tsushima.
O Parque Tennogawa, em Tsushima, Aichi, fica um encanto nesta época do ano.
Este parque é bem conhecido pelo "Owari Tsushima Tenno Matsuri" no rio Tenno, um dos mais luxuosos eventos do verão - considerado patrimônio cultural imaterial e etnográfico - onde as belezas das 365 lanternas japonesas "chouchin" - representando os dias do ano - sobre um barco, que desfila durante a noite -  e também pelo "Owari Tsushima Fuji Matsuri" ou Festival das Glicínias, que acontece sempre a partir do final do mês de abril a início de maio.
Neste ano, a previsão para o Festival das Glicínias - que acontece quando as flores estão no pico da florescência - é de 24 de abril a 4 de maio.


Antes, vou mostrar um pouquinho do Parque Tennogawa e da grandiosa beleza em uma completa área de lazer.
O imenso parque está cercado por bambus, em qualquer época do ano. Nesta estação, as azaléias embelezam o outro lado do parque.
Clique na imagem para ampliar.



Já publiquei vídeos sobre Tennogawa Koen, mas ainda não havia postado aqui no blog. 
Este vídeo mostra a dimensão do Parque e também onde se localiza a entrada onde estão as pérgulas com as glicínias.


São várias pontes, barcos pedalinhos, área de recreação para crianças e adultos, trilha para caminhada.




Animais são permitidos no parque, com os devidos cuidados.
Além de outras recomendações.
Uma ilha acessível por uma ponte rodeadas de nenúfar dá a visão do parque sob todos os ângulos.


Do outro lado da ilha, um torii, portal xintoísta.
Do interior da ilha, fabulosas vistas para todos os lados.


No interior da pequena ilha, uma outra área de lazer, bem estruturada.


Saindo da pequena ilha, porém dentro do parque, muitas áreas de lazer, um local relaxante.
Como tudo lá lembram flores, escultura de flor em bancos.

Este vídeo mostra o interior do parque:



Glicínias são o símbolo da primavera de Tsushima.
As glicínias ocupam 275 metros de comprimento, é considerada a maior, em extensão, do arquipélago.


Um belo túnel formado pelas perfumadas glicínias em 12 espécies diferentes refletindo sobre a água, dão o espetáculo inicial.







Do branco ao lilás, todas as cores encantam.














Essas flores estão em diferentes lugares: nas diversas treliças ou em canteiros
Diversas cores, galhos pendentes longos, médios ou curtos.
As flores ao vento dão verdadeiros espetáculos.














Uma nova visão encantadora começa a se formar quando o sol está se pondo e os refletores são acionados.






As luzes e as cortinas coloridas refletem fazendo todo o cenário encantador.






Quem ainda não se deparou com a beleza destas flores pendentes, não percam o show das cortinas perfumadas das glicínias.



Brisa ligeira
A sombra da glicínia
Estremece

(Haikai de Matsuo Bashô)

Endereço do Tennogawa Koen: Aichi-ken Tsushima-shi Miyagawa-cho 1 -chome