sábado, 24 de janeiro de 2015

Bōsai Musen, rádio de prevenção de acidentes que informam horas no Japão

Embora os japoneses sejam exigentes em relação ao barulho, pedindo silêncio em condomínios e evitem o uso de alguns eletrodomésticos como as lavadoras, por exemplo, a partir das 21h30 minutos (esses horários podem variar), em horários comerciais a coisa não é bem assim.
Carros de empresas particulares - legalmente autorizadas para executar tal atividade - com alto-falantes circulam nas ruas recolhendo lixo de grande porte, uma comodidade para quem não dispõe de muito tempo. No Japão, o descarte dos objetos de grande porte é pago e as formas são diferentes em muitos lugares, regra geral tem data e horário pré-determinados, com selos que devem ser adquiridos e fixados no móvel ou eletrodoméstico.
Carros ambulantes vendendo batata assada, lembram os vendedores de churros, pamonha, etc. no Brasil, também se utilizam dos alto-falantes.
Em tempos de liquidação, as lojas do Japão se tornam verdadeiras feiras. Funcionários saem às portas para atrairem clientes, seja para divulgar a promoção ou uma oferta relâmpago.
Nas grandes cidades a disputa é grande. Muitas vezes, alto-falantes são usados, fazendo barulhaço, inclusive à noite, claro, dentro do horário determinado.
Alto-falantes não são exclusividades das lojas. Políticos também fazem uso deles.
Além disso, existem também os alto-falantes instalados nas cidades, vilas, aldeias. Eles são ouvidos por todos os lados, tem sempre um por perto, seja em escola ou áreas públicas e rurais. A imagem acima é de Iwaki, em Fukushima.
Esses alto-falantes que funcionam como rádio, durante o dia toca uma certa música com toques de relógio, informando as horas.
Quem mora ou morou no Japão conhece bem esse som:
video
O som causa a má sensação de que o fim de semana acaba e soa lembrando a obrigação de levantar cedo no próximo dia, como um toque de recolher.
Não se preocupe, esses badalos não tem essa função incômoda.
São os Bōsai Musen - encurtado de Shichōson bōsai gyōsei musen jikanrádio de prevenção de acidentes, instalado e operado pelo governo e, a música ou badalo informando horário diariamente, nada mais é que uma forma de verificar se estão funcionando corretamente, um teste constante.
O sistema é complexo, envolvendo diversos órgãos e formas de transmissão.
Muitos municípios tem a sua maneira de utilizá-los além do horário, como dando toque de recolher para crianças, lembretes para correta colocação de lixo ou dos exames médicos fornecidos pelas prefeituras, avisos meteorológicos, pedidos de ajudas de busca, segurança do tráfego, animais perigosos soltos na região, prevenção a intoxicação alimentar, fraudes, outras informações do bairro ou, em dias de eleição, quando falta uma hora para o encerramento, enfim, uma série de comunicados importantes para a população.
Há casos de reclamação pelos inconvenientes da poluição sonora, por quem trabalha à noite e dorme durante o dia e outros, ao contrário, pelos idosos que já não ouvem bem e moram em áreas rurais, alegando que o som se perde.
Muitos ocidentais reclamam do barulho do Bōsai Musen, seja pela informação desnecessária do horário, não entender o comunicado ou pela sensação de depressão de fim de semana.
Não obstante hoje tenhamos a net, aplicativos nos smartphones à mão ou alertas de emergência fazendo parte de todos os aparelhos celulares, foram esses mesmos alto-falantes que, no dia do tsunami, emitia diversos avisos a cada minuto com diversas informações e instruções, como evacuação e locais de refúgios mais próximos.
Hoje, embora poucas, existem transmissões digitalizadas, em rede nacional, compartilhando com telefones celulares, podendo haver interação entre as partes, no caso de denúncia ou grande ameaça ao país.
E só pra lembrar, na era Edo existiam torres de vigia de incêndio, como na imagem abaixo, cuja função era a prevenção de incêndios. Devido ao alto risco de incêndio no arquipélago, tinha a função de detectá-los e dar alarme urgentemente. Os modelos dessas torres foram modernizando e existem em alguns lugares at é hoje. Outros países também adotaram essas torres.

As músicas tocadas nos Bōsai Musen são diferentes nas diversas cidades, algumas são tristes, causando a depressão de fim do fim de semana.

Esta música chamada Ie-ji "De volta para casa" é uma dica do toque de recolher para crianças:

As músicas com direitos autorais tocadas nesses alto-falantes recebem royalties.

Quer saber mais sobre o Japão?
Curta a >>> fanpage.
Inscreva-se também no Canal >>> YouTube.

sábado, 17 de janeiro de 2015

Otagi Nenbutsu-ji, o templo das 1200 estátuas rakan, em Kyoto

Quem vai até Arashiyama, em Quioto, para ver o bambuzal - uma pequena caminhada de 10 minutos através de belas imagens, incluindo um santuário -  não pode deixar de seguir o caminho que indica ao templo Adashino.

Depois de atravessar o bambuzal, existem muitos templos indicados em placas, um deles é o famoso Adashino Nenbutsu-ji, com 8000  estátuas, que foram colocadas em memória aos que morreram sem parentes. No entanto, é mais um daqueles lugares que não se pode fotografar no Japão.
Ainda seguindo em frente, depois de andar uns 20 minutos por tranquilos atalhos, entre modelos de casas antigas, à margem de uma rodovia está o Otagi Nenbutsu-ji, um dos mais diferentes templos que vi até hoje.
Embora não esteja muito listado em guias, Otagi é um templo interessante e diferente.
Otagi Nenbutsu-ji é um templo budista, da seita Tendai, localizado em Quioto no Monte Atago.
Originalmente, o templo foi construído no período Nara, com o nome de Atago, criado por ordem da Imperatriz Shotoku, filha do Imperador Shomu.
O templo tem muitas histórias de desastres. Uma enchente no rio Kamogawa inundou o templo, sendo reconstruído como um desdobramento do Enryaku-ji. Mais tarde, foi destruído pela guerra civil, sendo novamente reconstruído. Depois de ter sido transferido onde está hoje, novamente um tufão, em 1950, devastou o templo e somente em 1981, os danos foram reparados, quando 1200 estátuas começaram a ser esculpidas por seguidores do Buda - durante um período de 10 anos - liderado pelo escultor, que mais tarde se tornou sacerdote, Kocho Nishimura.
Aparentemente, não há nada especial na fachada do templo. Localizado em uma colina, tem aspecto sombrio.
Ruínas do Templo.
Depois de atravessar o portão principal, pagando um ingresso de ¥300, seguindo à direita, estão os jardins. Em meio aos jardins que se dividem em partes inferior e superior, estão as estátuas por todos os lados.
As estátuas representam o arhat, em sânscrito, ou rakan, discípulos de Buda.
São muitas imagens interessantes, com gestos e expressões diversas.
A maioria das estátuas estão cobertas de musgo, algumas parecem esfarelar, com aparências bem remotas.
As expressões divertidas das esculturas tem o objetivo de abrandar o coração dos visitantes.



Essas estátuas ficam logo após a entrada, na parte inferior.
Seguindo à parte superior, as paredes da rampa que leva ao sino ganham as estátuas como decoração.
Também diferente é a torre, com 3 sinos.
Os 3 sinos do templo são banhados a ouro e o espaço é denominado Sambo no Kane, conhecido como as campainhas dos 3 tesouros: Buda, Dharma e sacerdotes.
Na parte superior do templo é onde está o melhor, com muito mais estátuas e edifícios como o Hondō (Salão Principal) - importante propriedade cultural - e o Ema-dō.
Dentro dos edifícios estão imagens tradicionais do Buda, em bronze. 







Pagode do Templo.
A ponte leva até a imagem dourada de Boddisatthva.
Além de oferecer uma vista geral encantadora.
No alto da colina, além da beleza panorâmica, a imagem de Boddisatthva banhada a ouro.

Através do vídeo, a visão geral de Otagi Nenbutsu-ji, para melhor noção do local:


Um destino turístico em Quioto, ou Kyōto (como queiram) que recomendo.
Ingresso: ¥300
Horário de visita: 8h às 17h.
Endereço:  〒616-8439 京都府京都市右京区嵯峨鳥居本深谷町2-5
Kyōto-fu Kyōto-shi Ukyō-ku Sagatoriimoto Fukatani-chō 2 - 5
Fone: 075-865-1231
Mapa

Para saber mais sobre Japão, curta a >>> fanpage.
Inscreva-se também no Canal >>> YouTube.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Aluguel de apartamento ou casa para turistas em curta temporada no Japão

Após a postagem Tóquio em 3 dias, recebi diversas mensagens via formulário de contato - visível no blog somente via web - de leitores interessados em visitar o Japão, questionando sobre os diversos tipos de hospedagens no arquipélago. Uma delas foi sobre aluguel de apartamentos para curta temporada destinados aos turistas.
Na postagem mencionada, não detalhei sobre cada uma das acomodações no Japão, nem havia citado sobre locação de apartamentos ou casas para curta temporada, já que focava destinos turísticos em Tóquio.
Vamos dar uma breve explicação sobre cada forma de hospedagem no Japão, acrescentando algumas não citadas e onde encontrar apartamentos para locação em curta temporada, destinados aos turistas:

- Internet Cafe - Nossas conhecidas lan house. Separadas em cabines, dispõe, óbvio, de internet, além de microondas e chuveiro, é uma das opções baratas de hospedagem no Japão. Tem sido uma opção de morada para trabalhadores de baixa renda, desde a crise de 2008/2009. Destinado a quem dispõe de recursos financeiros limitados para uma viagem ao Japão e/ou curte uma aventura, afinal dormir em uma poltrona é pouco confortável.
Clique neste link das >>> Internet Cafe - em japonês - que estão listadas por região/província do Japão.

- Hotel Capsula - Antigamente os hotéis capsula só aceitavam homens, hoje em dia alguns aceitam mulheres. Para quem gosta de uma experiência - já que tem sua origem no Japão - e tem espírito aventureiro, é uma boa opção, além de barata.
Homens de negócios tem utilizado desta forma de hospedagem no Japão em viagens inesperadas, visando baixo custo. Dispõe de pequena TV, ventilador. O teto é baixo, um tanto desconfortável. Recomendado pra quem precisa apenas dormir, sem direito a banho e, claro, baixo custo.
No caso do banho, no Japão existem muitas casas de banho públicas, chamadas sentō. Embora a modalidade seja antiga, alguns empresários tem investido na modernização dessas casas de banho, porém, caras. Um banho nessas casas mais simples, custa a partir de ¥200 e tem todo um ritual para entrada, como a de se lavar antes de adentrar no ofuro.
A desvantagem do hotel capsula é o ruído; a porta é apenas uma persiana, não bloqueando roncos dos quartos vizinhos ou passos.
O valor dos hotéis capsula gira em torno de ¥2000. Apenas tenha cautela, pois hoje em dia existem alguns mais confortáveis e maiores, que podem chegar a ¥5000.
Clique neste link a seguir para obter todos os >>> hotéis capsula - em japonês - por região/província.

Obs.: a maioria destes link são de sites japoneses, alguns estão em inglês. Somente os últimos links estão em português.

- Kōkyō no yado - Acomodação pública - Embora o nome pareça ser algo barato, modificou-se com o tempo. Inicialmente a idéia era assistencial, foram criadas para acomodar trabalhadores como marinheiros e construtores, que se deslocavam de seu domicílio. Geridas por instituições públicas, as acomodações podem ser tradicionais ou ocidentais. Localizadas em áreas marítimas ou bem afastadas, os preços são um pouco mais baixos que hotéis comuns.
Confira aqui, <<< clique para conhecer essas acomodações públicas no Japão.

- Ryokan -  Pousada. A mais tradicional e sofisticada forma de hospedagem japonesa, além da verdadeira experiência da cultura japonesa. Em geral, próximos a pontos turísticos e onsen, tem sido muito frequentado por quem quer viver essa experiência, mesmo por apenas um dia.
Os serviços oferecidos são dos mais diversificados como cozinha tradicional, banhos de onsen ao ar livre, aluguel de quimonos.
Você dorme sobre um futonwoshiku, estendido sobre um tatame, onde só se anda descalço. Disposto de mesa baixa, chás, chaleira térmica, roupão.
Uma hospedagem pode custar de ¥5000 a ¥20000 por pessoa/dia, dependendo da sofisticação.
Ryokan ou pousada estão listadas em sites de hotéis.

- Hostel - Albergue - originados na Alemanha, chamados de albergues da juventude, é uma opção barata. Os quartos são compartilhados, separados para homens e mulheres; alguns albergues possuem quarto para casal, um pouco mais caro. Dispõe de cozinha compartilhada, recomendado para hospedar de maneira barata, principalmente para aqueles que preferem ter apenas um lugar para tomar banho e dormir. As camas podem ser beliche ou sobre futon em tatame. O banheiro também é compartilhado.
Em Tóquio, existem alguns albergues gratuitos ou em troca da hospedagem por serviço voluntário, como exemplo, limpeza do local. Lembrando bem que o serviço deve ser voluntário, já que o visto é de turista e não podem, sob hipótese alguma, receber remuneração por trabalho realizado.
A vantagem dos hostel é a de conhecer turistas de todo o mundo.
O valor da diária gira em torno de ¥3000.
Clique nesta lista dos >>> albergues, que estão listados por região, em inglês.
Para se cadastrar no site, clique no site >>> HostelWorld.

Yadoya Guest HouseAsakusa Smile <<< clique para obter informações e entrar em contato - são albergues que acolhem hóspedes em troca de serviços voluntários.

- Couchsurfing - A modalidade foi criada para unir pessoas e lugares internacionalmente, com objetivo de trocar experiências pessoais, educacionais e culturais, fomentar a consciência coletiva e disseminar a tolerância da compreensão cultural de cada um. Hospedagem gratuita não foi o objetivo do site, no entanto, as ofertas de alojamento surgem e caso haja interesse, basta entrar em contato. É só seguir as regras do anfitrião, que pode ter algumas exigências, variando, caso a caso. A princípio, o sistema de alojamento é gratuito, mas o surfista ou convidado, pode compensar, como exemplo, fornecendo a alimentação ou mesmo um retorno de hospedagem em seu país.
É preciso cadastrar-se no site, criando um perfil.
Para se cadastrar no site, clique >>> Couchsurfing.

- Homestay - é uma forma de hospedagem a longo prazo, direcionado a estudantes em casas de família, mas muitos desses hospedeiros tem aceitado turistas em curta temporada.
O aluguel de quarto em casa de família é uma espécie de pensão. O hóspede é tratado como membro da família, portanto com algumas obrigações.
Neste link, em inglês, explicação sobre o >>> homestay.
Clicando a seguir, listagem das >>> acomodações no Japão.

Raidahausu - Originado da palavra inglesa "Rider House", utilizado pelos motoqueiros e ciclistas no verão. Uma forma de acomodação bem mais descontraída, para espíritos bem aventureiros, não exigindo reserva devido ao público, que é considerado pequeno, embora alguns façam preventivamente. Em espaço compartilhado, é preciso levar sacos de dormir. Se não tiver casa de banho por perto, muitas vezes disponibilizam chuveiro como nas praias japonesas, a partir de moedas. Toque de recolher: em torno de 20h às 21h.
Clique a seguir para saber onde existem os >>> raidahausu, por província.
Minshuku - uma espécie de pensão, parecido com ryokan, é uma forma de hospedagem em uma residência familiar tradicional, de forma privada e mais barata. Encontrada em zonas rurais ou locais montanhosos, como em Shirakawa. Caso a refeição esteja incluída no preço, ela é feita comunitariamente, em mesas baixas japonesas, de forma tradicional. Como pensão, você mesmo deve arrumar seu quarto. Minshuku também estão listadas nos sites, juntamente com hotéis e ryokan.
- Shukubo - Alojamento em templos budistas - também uma experiência diferente, uma vez que pode-se participar das orações diárias e dos rituais, obedecendo horários. O preço pode variar de ¥3000 a ¥9000 por pessoa, com refeição - vegetariana - inclusa. Os shukubo de templos budistas foram criados, inicialmente, para hospedar peregrinos, popularizados pelo Santuário Ise e Zenkoji. Hoje a prática continua, estendendo-se aos turistas.
Esta é uma lista dos >>> shukubo do Japão.
Volte à página inicial do site, se deseja opção em inglês. Se estiver interessado nesse tipo de hospedagem, clique no nome do templo e encontrará todas as informações do local, como foto, localização, telefone, necessidade de reserva.
- Hotéis - é a forma mais confortável e mais vantajosa, podendo escolher de acordo com a localização e o que oferece. Tenho feito reservas a partir do site do Booking.com e nunca tive nenhum problema.
Existem diversos tipos de hotéis, desde banheiros compartilhados que, no Brasil, chamamos de quartos. Em geral, um hotel tipo 3 estrelas oferecem frigobar, wifi gratuito, uso de computador - geralmente no andar da recepção - banheiro com ofurô e quartos com aparelho de água quente para fazer seu próprio chá ou lamen pré-prontos, secador e os acessórios simples como escova/pente, cotonete, pasta e escova de dentes, que podem também ser retirados na recepção. O roupão pode estar no próprio quarto, porém, dependendo do hotel, retira-se em um armário disponibilizado no andar. Shampoo, condicionador e sabonete ficam afixadas na parede do banheiro. Quartos para fumantes e não fumantes ficam em andares separados. Tudo isso está bem especificado nos sites de reservas de hotéis.
O pagamento é feito no ato do checkin, pelo total de diárias reservadas. Alguns hotéis fornecem cartões para pagamento em um caixa eletrônico instalado na recepção. Ao fazer o checkin, um cartão é fornecido e basta inserí-lo, bem como o valor total da hospedagem. Esses cartões servem como chave do apartamento.
O café da manhã - geralmente um pequeno almoço, com direito a arroz, missoshiru e algumas iguarias leves e, claro, suco, café, pães - pode ou não estar incluso na diária. Caso não esteja incluso não é preciso fazer reserva, basta chegar no horário e pagar na entrada. Em um hotel classe 3 estrelas, custa em torno de ¥1000. O checkin é, na maioria, à tarde, após as 13h, que pode variar até as 15h e o checkout no período da manhã, geralmente até as 10h.
Não fotografei nenhum interior dos hotéis em que fiquei, mas são como mostram no site e, confesso, já me surpreendi, por serem melhores.
Nessa forma de hospedagem, incluo também os Resort Hotel, localizados em pontos aprazíveis, como montanhas, anexos aos onsen - águas termais - ou fazendo parte de complexos, envolvendo diversão como estações de esqui, parques temáticos ou de entretenimentos diversos, em um verdadeiro sentimento de férias.
Business Hotel são hotéis para executivos, somente um pouco menores e mais baratos. Esse tipo de hotel costuma ficar próximo das estações de trem e listados com os demais.
- Aluguel de apartamento para curta temporada - Existem casas ou apartamentos para curta temporada oferecidos aos turistas no Japão, a maioria desses imóveis estão listados no TripAdvisor <<< clique para conhecer, reservar ou cadastrar-se, e também um pouco no >>> Booking. Esses sites, em português, mostram como eles são, em diversas idiomas, bem como avaliações e comentários dos usuários.
Uma forma de hospedagem com privacidade, porém, sem a mordomia de uma camareira. Lembrando também que, mesmo temporariamente, é considerado um morador local e deve obedecer às regras do local com relação ao lixo, como acondicioná-los em sacos próprios, separados e levá-los em locais de coleta.
Como dica, o ideal é que o apartamento ou casa fique próximo a alguma estação de trem.

Se gostou da postagem, compartilhe, por favor. Agradeço muito!
Se quiser saber novidades sobre o Japão, curta a >>> fanpage.
Para assistir alguns eventos jaoneses, inscreva-se no Canal >>> YouTube.