domingo, 13 de abril de 2014

Hanamizuki, o retorno - símbolo da amizade entre Japão e EUA

E as cerejeiras, aos poucos, saem de cena, majestosas! Dão espetáculos no esvoaçar das pétalas, na água ou no chão.

Como uma onda, hanamizuki - ou simplesmente mizuki, também conhecida como América Yamahoshi - florescem.
Seu nome científico: cornus florida. Traduzida em português como cornizo.
Delicadas, textura suave elas estão florindo o arquipélago.
A floração de mizuki ocorre, geralmente, em torno de 10 de abril a 10 de maio.
Originária da América do Norte, o nome, em inglês, é dogwood.
Mizuki é uma flor símbolo de várias cidades e províncias japonesas.
As flores desabrocham na primavera, logo depois das cerejeiras.

Suas flores, nas cores branca, vermelha ou rosa, colorem o arquipélago discreta e delicadamente.
Significado: "justo", "retorno", "amor lindo".

Assim como as cerejeiras, em seus galhos, antes secos, surgem as flores, em seguida. as folhas.
No outono, suas folhas mudam de cor, do verde para o vermelho.
Com pequenos frutinhos. suas folhas caem no inverno, após a transformação das folhas.
Só depois da transformação, suas folhas caem para dar início a um novo ciclo, na primavera.
A natureza conta uma história - envolvendo a fragilidade e beleza das flores preferidas - da amizade entre dois países.

Em 1912, o então prefeito de Tóquio, Yukio Ozaki, presenteou Washington (EUA) com mudas de cerejeiras.
Infelizmente, a primeira remessa de 2.000 mudas de cerejeiras, devido à demora no transporte, chegaram com pragas e foram incineradas. Mas o Japão não desistiu e enviou novamente, desta vez foram 3.000 mudas, enxertadas, produzidas especialmente para que não sofressem danos durante a viagem.
As flores foram doadas pelo Japão, em função do Tratado de Portsmouth - que encerrou a guerra russo-japonesa - simbolizando a paz e a amizade entre o Japão e os EUA, que contei AQUI <<< nesta postagem.
As mudas foram plantadas no rio Potomac, em Washington, atraindo milhares de visitantes todos os anos, quando do florescimento das cerejeiras.

Tocados pelo encanto das cerejeiras, em 1915, Washington retribuiu com 40 mudas de dogwood - ou mizuki - uma das flores preferidas dos americanos, na cor branca, quando foi decidida a criação de Ozaki Memorial, para honrar as realizações de Yukio Ozaki, homenageado como "kensei no kamisama" ou "Deus do governo constitucional".
Essas flores se espalharam por todo o arquipélago.
2 anos depois, em 1917, vieram as mudas de flores vermelhas.
Em 2012, 3.000 mudas de mizuki foram enviadas pelos EUA ao Japão, em comemoração aos 100 anos das mudas de cerejeiras.

Dogwood foi a inspiração do compositor Mashiko Tatsuro na música Hitotoyo, uma resposta aos terroristas de 11 de setembro, na esperança de paz_




Há uma bela e verdadeira frase de Augusto Branco que diz:

As pessoas são muito reativas: costumam retribuir exatamente aquilo que recebem. Retribuem o bem com o bem, e o mal com o mal. Mas tu, para seres imensamente feliz, procederás diferente:
Retribua com flores a todas as pedras que te atirarem.
Haverá um momento em que as pedras de teus inimigos acabarão, e assim eles só poderão atirar em você as próprias flores que receberam de ti. "

terça-feira, 8 de abril de 2014

Tokyo em 3 dias, terceiro dia

Quando improvisos acontecem e se tornam o melhor dos passeios, assim foi o terceiro dia.

A diversidade dos meios de transportes disponíveis em Tokyo simplesmente arrasam, tornando o passeio agradável o tempo todo.
Assim como o yurikamome, Tokyo dispõe de serviços como jinrikisha e barcos.

Era o último dia em Tóquio, levantamos cedo e, antes do horário do checkout, fechamos as contas no hotel e levamos as malas à estação para concluirmos o passeio, seguindo a Akihabara.
Ainda dentro do trem, no caminho, em Asakusa, avistamos uns barcos e achamos que seria interessante fazer um desses passeios e descemos na primeira parada que foi exatamente próximo ao cais.

• Asakusa: Parque Sumida, passeio de jinrikisha até o bairro das gueixas, templo xintoísta 

De novo em Asakusa, só que desta vez para o lado oposto de Tokyo SkyTree e Sensoji, em direção ao Parque Sumida.
O parque fica lindo na época das cerejeiras, cujas árvores estão em todo o parque, voltado para o Rio Sumida.
Asakusa é uma verdadeira festa. 
O parque, ao lado do cais e ao longo do rio Sumida, dá belas vistas para o prédio da cervejaria Asahi.
Diversos festivais acontecem nesta área, não importa o dia é sempre uma festa.
Íamos para o cais comprar os bilhetes para a viagem de barco, mas fomos abordados pelo guia do jinrikisha. Foi uma tentação e, claro, fomos conhecer este diferente passeio.
O passeio com jinrikisha contei AQUI <<< clique para ler.
O guia do jinrikisha nos levou a um distrito de gueixas em Asakusa.
Como era dia, não vimos as gueixas.Tudo estava fechado, certamente estariam dormindo.
Dizem que é possível vê-las por volta das 6 horas da tarde, quando saem de suas casas para o trabalho.


Passamos também por um santuário, onde o guia nos ensinou o procedimento.
Na volta, concluímos nosso objetivo de andar de barco pelo rio Sumida.

• Rio Sumida: atravessando de barco, de Asakusa a Hamarikyu


Existem várias rotas e tipos de barcos que levam turistas ao longo do rio Sumida, onde o mais longo é até Hinode. Submarino e cruzeiros - com refeições inclusas - também estão disponíveis.
A linha até Hamarykiu é a mais popular em uma rota de barco simples.
Afixamos as câmeras nas janelas, nos 2 lados do barco para filmar - assim não precisamos disputar espaço com os demais turistas - mas ainda não editei os vídeos. Portanto, deixo aqui algumas imagens que fui captando, enquanto apreciava a paisagem.
Os prédios, barcos, navios e pontes ao longo do rio são imagens fantásticas.


As pontes, vistas pelo exterior, são um encanto a parte.
Em cada ponte, um design diferente
Apreciando as belezas arquitetônicas dos prédios que ficam às margens do Rio Sumida.



Momento mais disputado na parte traseira do barco, registrar Rainbow Bridge.
O desembarque acontece dentro do parque Hamarikyu, onde é necessário pagar uma taxa.

• Hamarykiu

Hamarykiu é um parque enorme localizado na baía de Tóquio, na foz do rio Sumida, em Chuo, com muitos atrativos tradicionais e paisagem belíssima.
A natureza: árvores, flores e pássaros em qualquer época do ano.


Hamarikyu tem maravilhosa vista para o Rainbow Bridge
O parque, como a maioria dos locais turísticos, tem uma longa história com o shogunato Tokugawa.
O parque tem duas casas de chá, onde as tradicionais cerimônias são realizadas.
Abaixo, um antigo caça-pato.

Como visitei em janeiro, havia pouquíssimas flores; na época das cerejeiras e das folhas de outono o parque é bastante visitado.
Seus jardins são atraentes durante o ano todo. Ameixeiras, cerejeiras, nanohana (canola), ácer, ginkgo estão plantadas mantendo seus encantos nas quatro estações.
Mesmo com poucas flores, o parque tem um encanto único.
Na imagem acima, Tokyo Tower também fazendo parte do cenário.
Hamarikyu é famoso pelo contraste da natureza, tradição e os edifícios arquitetônicos de Shiodome.

Confira melhor este relaxante parque:




• Nakagin Capsule Tower


No caminho para a estação, passamos por um trecho de Ginza.
Ginza é a área chique de Tóquio. Tudo em Ginza, seja moda ou gastronomia, é requintado.
O que chamou a atenção, de longe, foi a arquitetura de um prédio que avistei.
Este prédio é o Nakagin Capsule Tower.
Só do outro lado da rodovia expressa pude fotografar melhor o prédio que parecia estar abandonado.
Este prédio foi arquitetado e construído para ser uma espécie de dormitório para quem morava em outra cidade e trabalhasse em Tóquio. No entanto, caiu em desuso.
O prédio, com 140 apartamentos, é composto de cápsulas individuais. As cápsulas poderiam ser substituídas ao longo do tempo, para que pudessem ser substituídas ao longo do tempo, podendo adaptar às novas exigências. Infelizmente, está praticamente desabitado e em precárias condições.

• Akihabara


Akihabara - localizado próximo ao Palácio Imperial - famosa pelas lojas eletrônicas, é visitado em qualquer dia da semana por milhões de turistas, pois é lá que se concentram lojas tecnológicas.
As ruas de Akihabara são sempre muito movimentadas.
O brilho das lojas traduzem bem o sentido tecnológico.
É onde também pode-se ver a cultura otaku nas ruas.

Os interessantes cafés como AKB48 e Gundam ficam lotados diariamente.

• Tokyo Tower


Tokyo Tower, em Minato, é uma torre de suporte para antenas de emissoras de rádio e TV. 
Pintada em branco e laranja, conta com observatório, dando belas vistas de Tóquio.

Vistas através do observatório, Rainbow Bridge aparece lá atrás..


Aproveitamos muito o terceiro e último dia. Nunca um dia rendeu tanto.
De volta para a estação de Tóquio, retornando para o nosso aconchego.

• Sugestões


As sugestões que faço são de passeios feitos em outras épocas, em apenas 1 dia, rapidamente.

• Harajuku


Harajuku é um centro de moda, onde estão os estilos diferentes . 
Nas imagens, a famosa Takeshita Dori.
Harajuku Station, abaixo, está entre Harajuku e Shibuya.

• Shibuya

Bem ao lado de Harajuku Station está Yoyogi Park, em Shibuya.
Na área, um imenso jardim japonês.
E um dos santuários mais famosos do arquipélago: Meiji Jingu



É comum ver 2, 3 casamentos sendo realizados naquele santuário.
Cenas como esta são vistas nos fins de semana, inclusive aos domingos.
A estação de Shibuya é famosa pelo movimento de pessoas transitando nos cruzamentos, pela net afora.
É aqui que fica a estátua de Hachiko - o famoso cão fiel - que tornou-se local de ponto de encontro na estação.

• Omotesando


Perto de Shibuya e de Harajuku está Omotesando. Uma grande área de compras, lojas de griffes famosas, prédios arquitetônicos.
Pra quem curte moda, a área Shibuya, Harajuku, Omotesando, próximas uma da outra, é uma excelente opção.


• Ueno


Templo Tokudaiji, um templo que não foi afetado pelo Grande Terremoto de Kanto, em 1945, nem destruído na Segunda Guerra Mundial.


• Roppong Hills


Roppongi Hills Mori Tower com 54 andares, abriga escritórios, restaurantes e lojas diversas. É o prédio mais alto de Tóquio.
No 52º e 54º andar existem plataformas de observação. 
Algumas vistas através do Roppongi Hills Mori Tower




• Universidade de Tóquio


A Universidade de Tóquio é um ponto a ser visitado, principalmente para quem aprecia a bela arquitetura.
Akamom ( Portão vermelho)
Além da beleza arquitetônica, a universidade está no ranking entre as melhores do mundo.
A Universidade possui 5 campus.

Jardins da universidade


Ainda falta muito pra completar o tour em Tóquio.
Qualquer lugar, uma pequena cidade do Japão tem seus encantos. Da mesma forma, todos os distritos de Tóquio tem lugares belos e agradáveis.
Quando voltar novamente a Tóquio, trarei novidades aqui.